Por que servir mais? Artigo dom Walmor Oliveira de Azevedo

Amado e amada de Deus,

Saúde e paz

Por que servir mais? O compromisso de partilhar o dom da vida, dádiva sagrada de Deus, é o horizonte para responder a essa questão. A medida dessa oferta se alarga na incansável missão do cristão de contribuir para a edificação de uma sociedade fraterna e solidária. Temos, assim, longo caminho a percorrer, de diálogos e reflexões, no interno da Igreja, e da Igreja com a sociedade, junto aos irmãos bispos, que me confiaram a missão de presidir a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e com o apoio do povo de Deus.

O porquê dessa pergunta – “por que servir mais?” – se desdobra, ainda, em outro questionamento: “Para que servir mais?”. As urgências da vida, que é dom, exigem providências, respostas. E, por razão de fé e cidadania, a comodidade e a indiferença não devem prevalecer sobre as necessidades da vida.

Torna-se urgente servir mais, oferecer o que se pode a mais, incluir sacrifícios, elevando a altos níveis o altruísmo, que não pode faltar no coração de cada pessoa. Pois, a vida só alcança a qualidade de dom quando esse dom é vivido como oportunidade de servir, de ser operário de uma construção social, política, cultural e religiosa, sobre os alicerces da verdade, justiça e do amor.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo

Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte

Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

 

Veja também