Novamente Setembro

Mais uma vez é setembro! É primavera. É mês da Bíblia. “Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos, quero ver brotar o perdão onde a gente plantou, juntos outra vez”. Com esses inspirados versos de Beto Guedes, setembro volta mais uma vez.

Depois do tépido outono e do frio do inverno, eis que chega a primavera como que prenunciando a Palavra que diz: “Eis que faço novas todas as coisas” (Ap 21, 5). Assim é a criação: renova-se a cada ciclo, abre-se à plenitude ontológica querida pelo Criador. Da mesma forma que em Cristo somos novas criaturas, a natureza se recria e se renova na primavera, expressando o eterno dinamismo do amor de Deus.

Primavera tem mesmo cheiro de flores, mas não é apenas isso. Primavera exprime, por outro lado, a dimensão mistérica da presença de Deus na criação, conforme atesta São Paulo: “O que se pode conhecer de Deus é manifesto entre eles, pois Deus lho revelou. Sua realidade invisível – seu eterno poder e sua divindade – tornou-se inteligível, desde a criação do mundo, através das criaturas” (Rm 1, 19). Desse modo, a renovação que a primavera inspira nos convida a fazer o caminho com Deus. Assim, quando entra setembro, a Boa Nova se deixa refletir na natureza, nos campos, na vida. Não vivemos sem primavera, pois ela semeia a esperança. Mês da independência é também mês de primavera. E com ela a esperança se reacende.

Mês da bíblia mais uma vez. Nosso Deus se manifesta ao povo, caminha e fala com ele. Dabar significa palavra e acontecimento, pois a “palavra de Deus é viva e eficaz” (Hb 4, 12), é como a chuva que não retorna para o céu sem antes ter fecundado a terra. Nosso Deus é eterna comunhão de amor dialogal. Por isso, a plenitude da Palavra se dá em Jesus ao assumir a condição humana: “a Palavra se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1, 14). A partir da ternura da encarnação, já não podemos viver sem a Palavra, pois «toda a Escritura é divinamente inspirada e útil para ensinar, para corrigir, para instruir na justiça: para que o homem de Deus seja perfeito, experimentado em todas as obras boas» (2 Tim. 3, 16-17). Palavra de Deus é luz para nossos passos e oportunidade de experimentar o sentido desta vida no mundo e esperar a vida eterna. É palavra de Salvação. Na Escritura se manifesta a compaixão da eterna sabedoria de Deus (Dei Verbum, 13).

Assim, a Igreja se funda na Palavra de Deus, nasce e vive dela, pois a Palavra é ”solidez da fé para os filhos da Igreja, alimento da alma, fonte pura e perene de vida espiritual” (Dei Verbum, 21).

A partir da experiência da fé, com a Palavra de Deus, podemos vivenciar a nossa primavera espiritual a cada dia, tornando-nos, um dia de cada vez, novas criaturas. Que venha setembro, juntos outra vez.

Padre Márcio Antônio de Paiva

Pároco Solidário

Veja também