Grande Célula -Um momento de oração, encontro e comunhão

O Projeto de Células Paroquiais de Evangelização da Paróquia Nossa Senhora Rainha promoveu na noite de ontem um grande encontro, denominado “A Grande Célula”, que contou com a presença de dois religiosos italianos: o Padre Gianni Mezzasalma e o Diácono Permanente Filippo Crosa. Voltado para membros e líderes de todas as células da NSRainha, o evento teve início com uma missa, presidida pelo pároco, Pe. Alexandre Fernandes, e concelebrada pelo Pe. Gianni. O louvor foi conduzido pelo cantor José Velloso (voz e violão), acompanhado por Maurício Lafourcade (teclados).

Em sua homilia, Pe. Alexandre ressaltou a importância das células paroquiais de evangelização no crescimento e fortalecimento da Igreja Católica, ressaltando o pedido do Papa Francisco para “sermos uma Igreja em saída, uma Igreja em movimento” e lembrando do trabalho que vem sendo realizado nesse sentido nos últimos anos na Paróquia Nossa Senhora Rainha, que atualmente conta com mais de 80 células, formadas por casais, jovens, mulheres etc.

A paroquiana Érica Brito, que, ao lado do marido, Fabrício Brito, coordena o Projeto de Células da Paróquia Nossa Senhora Rainha, disse que a “Grande Célula” já se transformou num evento no calendário de atividades das células, “no qual acontece a oração entre todos os membros de células, o encontro, a comunhão e que também conta com a presença de alguém de fora da comunidade para trazer uma palavra que esteja relacionada com essa comunhão entre as pessoas, com a ação de Deus e do Espírito Santo na nossa vida, na vida da Igreja, na vida das células”.

Ao final da celebração eucarística, os coordenadores atuais e anteriores do Projeto de Células da NSRainha realizaram uma homenagem especial ao paroquiano Ronaldo de Moura Lima, que faleceu recentemente e que foi um dos grandes incentivadores do Projeto na Paróquia, expandindo as suas fronteiras para outras paróquias, até de outros estados. “Ele tinha a visão das células, que é um dom do Espírito Santo”, lembrou a sua esposa, Bernadete de Moura Lima, que também foi coordenadora do Projeto de Células e que atualmente é uma das coordenadoras da Catequese na NSRainha.

Em sua pregação, o Diácono Permanente (de Milão) Filippo Crosa, contou um pouco da sua história na Itália, onde viveu um processo de transformação da sua vida, iniciado há 37 anos ao participar de um curso para líderes de células e seguir uma inspiração vinda do Espírito Santo “de deixar os meus projetos, para abraçar sem medo, sem temor os projetos de Deus”. O religioso ressaltou que é o Espírito de Deus que guia a história da vida do homem, que nos faz ter coragem para sair e evangelizar. “A Igreja existe para evangelizar, a sua vocação, a sua missão é evangelizar e cada batizado tem que ser um evangelizador”.

Em seguida, foi a vez do Padre Gianni Mezzasalma falar um pouco da sua história, ressaltando que a sua vocação de sacerdote nasceu dentro de uma célula, da qual surgiram cinco vocações. “Da minha célula, surgiram dois sacerdotes, eu e o meu líder; duas irmãs e um frade”, lembrou. “Mas não foi a célula como método que fez nascer as nossas vocações, mas sim a santidade das pessoas que compõem a célula e a santidade do sacerdote que cuidava da célula”. O sacerdote italiano ressaltou que a célula não é um método, a célula é um carisma, é um dom do Espírito Santo, um coração, uma missão.

A missa foi celebrada pelo pároco da NSRainha, Pe. Alexandre Fernandes; e concelebrada pelo Pe. Gianni Mezzasalma

O louvor foi conduzido pelo cantor José Velloso (voz e violão), acompanhado por Maurício Lafourcade (teclados)

Ao final da missa, uma homenagem a Ronaldo de Moura Lima, um dos grandes incentivadores do Projeto de Células na NSRainha

A coordenadora, Érica Brito; o Diácono Permanente, Filippo Crosa; o Padre Gianni Mezzasalma e o tradutor Marcos Paulo Rosa

Diácono Permanente Filippo Crosa: “Deixar os meus projetos para abraçar os projetos de Deus”

O Padre Gianni Mezzasalma lembrou que a sua vocação nasceu dentro de uma célula

Veja também