Festa da Padroeira – Salve Rainha, Mãe de Misericórdia!

Com a igreja completamente lotada de fiéis, a Paróquia Nossa Senhora Rainha celebrou ontem, dia 22 de agosto, a Festa da Padroeira. Inspirada no tema “Salve, Rainha”, a programação começou às 18h com as celebrações do Angelus e da Hora Santa, seguida pela Oração do Terço, todas conduzidas pelo pároco, Pe. Alexandre Fernandes, que também presidiu a missa, concelebrada pelo vigário paroquial, Pe. Arnaldo Cezar, e pelo Pe. Leonardo Pessoa. Após a celebração eucarística, foi realizada a coroação de Nossa Senhora e os fiéis saíram em procissão luminosa em torno da igreja.

O Santo Rosário foi meditado conforme o método Luiz Maria Grignion de Montfort, com Ave Marias e Pai Nossos rezados em várias línguas (latim, italiano, inglês, francês e português). Em seguida, em mais um momento de muita emoção, Pe. Alexandre consagrou toda a Paróquia à Nossa Senhora Rainha. O ministério de música formado para a Festa da Padroeira reuniu o tenor Vitor Monnerat, os cantores José Velloso, Daniel Keesen, Denise Gomes, Marcela Ireno e Juliana Karez, que foram acompanhados pelos músicos Rogério D’Ávila (violão), Maurício Lafourcade (teclados), Greyci Silva (violino), Marco Lima (trompete) e Bruno Souza (carrão).

Em sua homilia, Pe. Alexandre lembrou a trajetória de Maria, que deu um sim a Deus, que foi obediente a Ele. “Deus estabelece uma aliança eterna através da Virgem Maria e seu filho Jesus. E chamamos Maria de Rainha porque ela é mãe do Rei, portanto, ela é soberana Rainha”. Mas, ressaltou o pároco, Maria sabia também que o Reinado de Deus não se daria pelo poder, pela força, e sim pela conquista do amor. “E Maria é aquela cheia da plenitude da graça de Deus. Ela participa da glória de Deus porque foi preservada do pecado”.

O sacerdote também falou sobre o fato de a Festa de Nossa Senhora Rainha acontecer oito dias depois da Festa de Assunção de Nossa Senhora. “Primeiro, ela foi elevada ao Céu e, depois, foi glorificada no Céu”. Ele lembrou de outro título de Maria: a “Mãe de Misericórdia”. “Temos uma Mãe que intercede por nós, capaz de ver as nossas impurezas, os nossos pecados. Uma Mãe que não desiste do filho, que limpa o seu filho”.

A Festa da Padroeira teve uma participação intensa das crianças da comunidade. Primeiro, todas as crianças da catequese da NSRainha trouxeram rosas brancas para homenagear a Santa. Depois, um grupo de meninas realizou a coroação de Nossa Senhora, enquanto um outro grupo de crianças formava um coral para cantar o hino à Nossa Senhora Rainha. A programação da Festa foi encerrada com uma procissão luminosa, acompanhada por uma banda de música.

Preparação

A Festa da Padroeira teve início no dia 11 de agosto, quando a Paróquia iniciou uma Novena em honra à Nossa Senhora Rainha. Foram nove dias de oração, sem contar os domingo, nos quais as missas foram presididas pelo pároco, Pe. Alexandre Fernandes; pelo vigário paroquial, Pe. Arnaldo Cézar e por padres que vieram de outras paróquias e meditaram a cada dia sobre um diferente tema mariano: “Maria, Rainha dos Anjos”, “Maria, Rainha dos Profetas”, “Maria, Rainha dos Apóstolos”, “Maria, Rainha Assunta ao Céu”, dentre outros. Além das bênçãos, a cada encontro os fiéis receberam um card com orações devocionais marianas.

A Festa de Nossa Senhora Rainha emocionou muito fiéis. Para Vânia Cardoso, paroquiana há mais de seis anos, “é um momento para agradecer todas as graças que ela derrama sobre nós, um momento para virmos nos alegrar junto com a Virgem Maria. A paroquiana Sabrina Evangelista, que tem um filho participando da catequese da NSRainha, disse que é um momento para toda a família participar, “mostrando principalmente para os nossos filhos a comunidade católica que a gente vive”.

Para a paroquiana Xênia Araújo, que participa das missas e de atividades da Paróquia há alguns anos, o dia 22 de agosto é uma data muito especial. “Um momento para agradecer às bênçãos que recebemos, a paz que ela nos transmite. Estar presente cada dia mais na presença do Senhor e junto com a nossa Mãe, Nossa Senhora Rainha”. Para o jovem João Vitor Moraes, que participa do Grupo GOFF da NSRainha, “a festa me traz a memória de muitas coisas boas que vivi na Paróquia, coisas que fizeram aumentar muito a minha fé”.

 

Veja também