Direitos humanos e solidariedade: eixos da educação

Congresso mundial do OIEC na Espanha

ZARAGOZA, quinta-feira, 20 de outubro de 2011 (ZENIT.org) – A cidade de Zaragoza (Espanha) está sediando o 17º Congresso Mundial de Educação Católica, que começou na terça feira e terminará amanhã. Participam dele mais de 600 especialistas, de 102 países.

O programa de conferências abrange as bases de trabalho para os próximos quatro anos do Escritório Internacional da Educação católica (OIEC), organizadora do evento. A meta é enfrentar a crise de valores atual incentivando um sentimento de esperança nas escolas.

Os especialistas, secretários regionais e representantes permanentes do OIEC nas Nações Unidas, Unesco, Conselho da Europa, UNICEF e Vaticano estão expondo suas ideias, alternativas e experiências, com o objetivo de avançar no desenvolvimento de uma educação baseada na ética.

O congresso, que centra os principais temas no respeito e na defesa dos direito humanos, pretende encontrar uma resposta para a crise atual de valores, que marcou uma brecha no desenvolvimento geracional.

O foco é voltar a enraizar, nas crianças de hoje, os melhores caminhos para ser os homens e as mulheres que, no futuro, guiarão a humanidade.

A presidente da comunidade aragonesa, Luisa Fernanda Rudi, afirmou, em suas palavras da saudação aos participantes, que “é precisamente o enfoque de formação da pessoa em todos os âmbitos que, além de gerar mais benefícios individuais, acrescenta um valor substancial ao papel futuro que a pessoa deve desempenhar na sociedade”.

Luisa Fernanda Rudi disse também que a educação católica é “uma educação de qualidade, da escola à universidade, porque é uma educação na liberdade, afastada da imposição de dirigismos a partir de qualquer administração”.

Por sua vez, o secretário-geral do OIEC, Pe. Ángel Astorgano, afirmou que “o direito a uma vida digna para todos deve ser o ideal de força que leve a esmerar-se na educação das novas gerações”.

Da mesma forma, declarou que, na época atual, existe um sentimento de desmotivação e de pouca confiança no futuro.

Por isso, considerou que a escola pode e deve ser um lugar onde, “plantando sementes de esperança no futuro, colhemos frutos de emoção, de entusiasmo e de confiança, sem dúvida valores que agora estão pouco estendidos na população”.

Após a mesa inaugural, o especialista em liderança e escritos de livros de autoajuda Sean Covey pronunciou a conferência The Leader In Me, na qual expôs os segredos para que toda escola, seja qual for o estado emocional, estrutural e de desenvolvimento em que se encontre, possa chegar a ter êxito.

Para mais informações: www.infoiec.info.

Fonte: Zenit

Veja também