Bom Jesus do Vale em dia de grande festa

A Comunidade Bom Jesus do Vale, da Paróquia Nossa Senhora Rainha, viveu no último domingo, dia 26 de agosto, um dia que vai entrar para a sua história, marcado pela “Festa da Família”, com muitas barraquinhas, show de música (Com Daniel Keesen), atividades interativas para toda a família e brinquedos para as crianças; e pela “Comemoração do seu aniversário de quatro anos”, com a benção da pedra fundamental da construção da igreja definitiva, feita pelo Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor de Oliveira Azevedo.

Com a igreja completamente lotada de féis, a programação teve início às 10h, com missa presidida por dom Walmor e concelebrada pelo pároco da NSRainha, Pe. Alexandre Fernandes, e pelo diácono permanente da Arquidiocese de Belo Horizonte, Paulo Taitson. Antes de iniciar a missa, Pe. Alexandre pediu a todos para “agradecerem a Deus pelos quatro anos da Comunidade Bom Jesus do Vale e pela benção da pedra fundamental, que abre a perspectiva da construção de um bonito templo, projetado pelo arquiteto Gustavo Penna, onde a comunidade e o Povo de Deus vão se encontrar para louvar”.

 

Muitas crianças

Ao iniciar a sua homilia, o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte elogiou a presença de muitas crianças na Comunidade e lembrou a sua alegria de ter acompanhado todo o caminho da BJVale, desde a doação do terreno. “Vir aqui para benzer a pedra fundamental, firmando cada vez mais em Cristo o caminho dessa comunidade, é cuidar do nosso principal tesouro, que é a nossa fé, que é o nosso pertencimento ao Povo de Deus”. Dom Walmor ressaltou que cada comunidade deve se tornar uma escola, onde, tendo como horizonte a medida do amor de Deus, podemos sempre aprender e crescer no serviço ao Senhor.

Ao final da celebração eucarística, Pe. Alexandre agradeceu a Dom Walmor por todo o apoio recebido e lembrou que, embora a igreja provisória tenha sido inaugurada em agosto de 2014, a comunidade já existia há mais tempo e que agora “completamos sete anos com reuniões, com orações, celebrações eucarísticas nas casas, em uma comunidade viva”. Ele também elogiou uma das principais características da BJVale que é a grande presença de crianças, cantando nas missas, participando do “Cantinho do Céu”, sendo evangelizadas. “Já temos aqui, inclusive, uma missa com a participação especial de crianças”.

 

Trabalho social

Além de todas as atividades que são realizadas na BJVale (seminários, cursos, encontros, orações do terço, batizados, entre outras), o pároco também ressaltou o trabalho social da comunidade e destacou as ações que são realizadas em apoio à Associação de Proteção e Assistência ao Condenado – APAC de Nova Lima, em especial a fábrica de hóstia, que, atualmente, produz mais de 350 mil hóstias por mês. “É um trabalho que tem gerado rendas para aquelas pessoas que estão lá cumprindo as suas penas”. Pe. Alexandre também agradeceu a presença e o trabalho de toda a comunidade, a presença do prefeito de Nova Lima, Vitor Penido; dos secretários municipais e dos empreendedores do Vale do Sereno, e do arquiteto Gustavo Penna.

Representando a comunidade, a paroquiana Cida Miranda disse que “Jesus é a pedra fundamental que sustenta a Igreja e o mundo e, na construção do Reino de Deus, cada pedra tem a sua importância, cada um de nós que colabora nessa obra é também parte dessa construção”. Em seu discurso, o arquiteto Gustavo Penna disse que “é uma igreja envolvida pela natureza, com um fundo de mata, com capacidade para 1.500 pessoas, uma nave muito alta e uma acústica bem tratada para criar difusão do som. Trata-se de um espaço onde todas as pessoas se veem, completamente integrado”.

 

Daqui a 50 anos

Em seguida, Dom Walmor, todos os celebrantes e participantes se dirigiram à pedra fundamental para a bênção do Arcebispo e para presenciar o enterro de uma caixa com cópias de documentos e objetos da atualidade e que será aberta somente daqui a 50 anos. Após a solenidade, deu-se início à “Festa da Família”. O ministério de música da celebração eucarística foi formado pela cantora Denise Gomes e pelas crianças que cantam nas missas celebradas na Comunidade Bom Jesus do Vale, acompanhados por Rogério D’Ávila (violão).

O prefeito de Nova Lima, Vitor Penido, agradeceu a Dom Walmor, ao Pe. Alexandre e toda a comunidade do Vale do Sereno, incluindo os empreendedores da região, e disse que é muito importante a construção do templo, que vai possibilitar o encontro e a reunião dos fiéis, e afirmou que a Prefeitura vai fazer o que estiver a seu alcance para torná-lo uma realidade.

Para o jovem casal de paroquianos Jonas e Clarissa, que participaram da Festa da Família com a filha Maria, de nove meses, “o lançamento da pedra fundamental representa uma semente plantada na nossa comunidade para que os frutos do cultivo da fé se propague não só para a nossa geração como também para as gerações futuras”. O casal Vilson e Rosângela Gonçalves, que participam desde o início de todas as atividades na BJVale, a perspectiva da construção definitiva representa a realização de um sonho. “É muito emocionante, é muito gratificante ver a igreja surgir”.

A Festa da Família também contou com a participação de muitos jovens. As irmãs Allegra e Giulia Rossetti, que participam do grupo de jovens GOFF da NSRainha, disseram que acham importante abertura que a comunidade oferece à participação dos jovens e esperam estar na BJVale na abertura da caixa, daqui a 50 anos. Para o casal Walter e Janete Isaac, que participam da comunidade há cerca de dois anos, “toda a comunidade tem a responsabilidade de fazer com que esse templo belíssimo se torne uma realidade o mais breve possível e acreditamos que todos estão animados com essa construção.

 

O projeto

O novo templo terá 3.974 metros quadrados de área construída, com parede de vidro no fundo e vista para reserva de mata atlântica. O projeto é do arquiteto Gustavo Penna e inclui, além da igreja, o complexo de atendimento, capela do santíssimo, auditório e salas multiuso. Localizada na região do Vale do Sereno, a comunidade Bom Jesus do Vale surgiu em função do crescimento populacional da região e da preocupação com a mobilidade das pessoas que ali residem. Atualmente, as celebrações ocorrem dentro da estrutura provisória, montada a partir do reaproveitamento de contêineres e tocos de madeira.

Veja também