Assunção de Nossa Senhora já é nossa vitória em Cristo

No próximo dia 15, a Igreja celebra a solenidade da Assunção de Maria. Sendo a cheia de Graça, a Kecharitoméne, gozando da graça e da alegria que brota do mistério insondável do próprio Deus, Maria representa a humanidade assumida pelo Pai em seu plano de Amor.
Esta solenidade começa com a proclamação do Papa Pio XII em 1950 através da Constituição Apostólica Munificentissimus Deus: “A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso da vida terrestre foi assunta em corpo e alma à glória celestial.” Mas antes de tal proclamação, já era um fato celebrar a dormitio de Maria como um sonho de amor, sua passagem ou páscoa definitiva.
Assim se expressa o Papa Pio XII: “Cristo, com Sua morte, venceu o pecado e a morte … Mas por lei natural Deus não quer conceder aos justos o completo efeito dessa vitória sobre a morte, senão quando chegar o fim dos tempos. Por isso, os corpos dos justos se dissolvem depois da morte, e somente no último dia tornarão a unir-se, cada um com sua própria alma gloriosa. Mas desta lei geral Deus quis excetuar a Bem-Aventurada
Virgem Maria …; por sua Imaculada Conceição, não estando por isso sujeita à lei natural de ficar na corrupção do sepulcro, não foi preciso que esperasse até o fim do mundo para obter a ressurreição do corpo”.

Ao celebrarmos esta solenidade, a Igreja se alegra na esperança de, um dia, todos em Cristo vencermos a morte, pela glória da Ressurreição.

Veja também