As redes sociais se tornaram verdadeiramente um ambiente de vida

No domingo, 12 de maio celebrou-se o 47º Dia Mundial das Comunicações Sociais sobre o tema “Redes sociais: portas de verdade e de fé, novos espaços de evangelização”. No dia 24 de janeiro, em que a Igreja celebrou São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, o Papa Bento XVI lançou a Mensagem para esta ocasião que diz: “estão contribuindo para fazer emergir uma nova praça pública onde as pessoas compartilham ideias e onde podem realizar novas formas de comunidade”. Uma análise positiva, mas que exige responsabilidade, dedicação à verdade e autenticidade, reafirma Dom Claudio Maria Celli, Presidente do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais.

Em entrevista a Rádio Vaticano, Dom Celli falou sobre o que representa para a Igreja o mundo das redes sociais e quais são as perspectivas. “Para a Igreja creio que seja um desafio e uma oportunidade, no sentido de que as redes sociais se tornaram verdadeiramente um ambiente de vida e neste contexto somos chamados a dar testemunho dos valores que acreditamos, a viver autenticamente essa presença e vivê-la com certa responsabilidade. Este é o desafio. A oportunidade é que também aqueles que estão longe, aqueles que perderam um relacionamento mais profundo com o Deus – precisamente na contextualidade da rede social por eles habitada – possam encontrar uma oferta concreta, uma apresentação séria, respeitosa, e possam encontrar os critérios de vida”.

Ainda na entrevista dom Celli mencionou sobre o papel da Igreja nas redes sociais: “a nossa presença não é um anúncio “formal” do Evangelho – isto é, não faço citações do Evangelho – não é isso! Creio que, precisamente na rede social eu sou chamado expressar como a minha vida encontra Jesus e o Evangelho, e, portanto, como a minha vida é transformada. As mensagens que Papa Francisco envia a todo o mundo – continua Dom Celli – são mensagens deste tipo; como a de outro dia quando dizia que não há tristeza, não há melancolia para o cristão porque a sua vida está ligada a Jesus Cristo, e quando poucos dias atrás Papa Francisco dizia que as lágrimas do sofrimento são as lentes que me ajudam a redescobrir a presença de Jesus. A rede social se torna, portanto, um momento de partilha, um momento no qual eu na minha autenticidade, na minha comunicação imediata, torno presente a substância do meu viver”.

No livro em comemoração ao 47º Dia Mundial das Comunicações Sociais, o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, falou da importância do Povo de Deus comunicar Cristo aproveitando, inclusive, as novas tecnologias. “Desejamos a todos que o Dia Mundial das Comunicações seja comemorado e celebrado com todo o Povo de Deus, para que a Igreja no Brasil se comprometa, cada vez mais, a comunicar Cristo a todos com a cultura da comunicação gerada pelas novas tecnologias”.

Fonte: CNBB

Veja também