Aproximarmos do coração misericordioso de Deus

A Paróquia Nossa Senhora Rainha promoveu na tarde do último dia 8 de abril a Festa da Divina Misericórdia. A Festa teve início às 15h, com o louvor da jovem cantora Larissa Viana, que veio de Petrópolis especialmente para a celebração; sendo seguido pela Oração do Terço da Misericórida e Adoração ao Santíssimo Sacramento, conduzidas pelo pároco, Pe. Alexandre Fernandes; por uma pregação da psicóloga Andrea Scarpelli, por uma procissão com o quadro da Divina Misericórdia e por benção das imagens de Jesus Misericordioso, encerrando com a Santa Missa das 17h45, presidida por Pe. Alexandre.

Durante a celebração da Festa, após a oração da Consagração à Jesus Misericordioso, Pe. Alexandre lembrou que Jesus disse à Santa Faustina (em seu Diário Espiritual) que “as graças da Minha misericórdia colhem-se com o único vaso, que é a confiança. Quanto mais a alma confiar, tanto mais receberá”. O pároco disse que Jesus nos convida a confiar n’Ele, sem duvidar. “Jesus nos convida a colocar toda a esperança n’Ele, no seu poder, a acreditar na Sua bondade”. O sacerdote lembrou também que Jesus disse à Santa Faustina que, “neste dia, estão abertas as entranhas da minha misericórdia e derramo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da minha misericórdia”.

Em sua pregação, a psicóloga Andrea Scarpelli disse que a Festa da Misericórdia é um momento de grandes graças para todos. Ela lembrou que a confiança na bondade e na misericórdia do Senhor é essencial para a nossa caminhada. “Temos que buscar sempre o exercício da confiança e da entrega. Agir conforme a vontade do Senhor, se esvaziar da nossa autossuficiência”. A psicóloga também ressaltou que, nessa caminha da confiança, nós precisamos de uma grande virtude: a humildade. “A humildade de reconhecer que somos miseráveis, que somos necessitados da graça de Deus”.

Quem conduziu o louvor da Festa da Divina Misericórdia foi a jovem missionária e cantora católica Larissa Viana. Ela começou a se destacar no cenário da música católica brasileira quando participou e cantou na missa de abertura da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro, em 2013. Larissa trouxe a sua banda de Petrópolis (RJ), onde mora, e cantou músicas como Panis Angélicus, que cantou na JMJ. A cantora e missionária disse que “o coração misericordioso de Deus nos atraiu até aqui para derramar sobre nós a sua graça e a sua misericórdia, para sairmos melhores, mais pertos de Deus”.

Cleidiane Maria de Paula Garcia veio de outra paróquia em Belo Horizonte especialmente para participar da Festa da Divina Misericórdia. Ela, que veio acompanhada do marido Silvio e dos filhos Victor e Juan, disse que a Festa é uma das pedras preciosas que o Coração de Jesus pode nos oferecer. “É um momento de grande graça, de recorrermos aos raios misericordiosos do Coração de Jesus, um momento para chegarmos mais perto de Deus e obtermos grandes graças”.

A Festa da Divina Misericórdia foi instituída pelo Papa João Paulo II, em 23 de maio de 2000, a pedido do próprio Senhor à Santa Faustina Kowalska: “Comecei uma novena na intenção de certos sacerdotes, para que Deus lhes conceda luz e inspiração, para que se esforcem por conseguir a aprovação dessa Festa e para que o Espírito Divino inspire o Santo Padre em toda essa questão.” (D.1041)

O anúncio se deu durante a canonização da Irmã Faustina, no dia 30 de abril de 2000, ficando estabelecido que o 2º domingo da Páscoa é o Domingo da Misericórdia. Na liturgia deste mesmo domingo, a Igreja celebra o Sacramento da Reconciliação. “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não
perdoardes, eles lhes serão retidos” (Evangelho de São João 20,19-31).

Jesus explica a importância da Festa por meio da seguinte passagem do Diário 699: “Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha Misericórdia. Derramo todo um mar de graças que se aproximam da Fonte da Minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam vermelhos como o escarlate”.

Cleidiane Garcia veio de outra paróquia para participar da Festa da Divina Misericórdia com o marido Silvio e os filhos Victor e Juan

Veja também