Notícias

DIA DOS PAIS

Prof. Antônio de Oliveira antonioliveira2011@live.com Anoitecer é verbo incoativo, tal qual amadurecer, fenômeno que se dá aos poucos. Lenta, mas gradativamente, de maneira ininterrupta. A natureza não dá saltos. Um fruto, o grão não amadurece de um dia para o outro. Pois bem. Entardecer é a hora do crepúsculo vespertino. Praticamente todo dia tem essa […]

Saiba mais

MUNDO DIGITAL

Prof. Antônio de Oliveira antonioliveira2011@live.com Ao pé da letra, paróquia significa grupo de habitações vizinhas daqueles que moravam nas proximidades de uma igreja. O mundo mudou. Arquitetura e urbanismo se secularizaram. Cidades antigas tornaram-se museus a céu aberto. Mudaram-se os comportamentos. Mudam-se os conceitos rapidamente. As pessoas passaram a se relacionar de maneira diferente. O […]

Saiba mais

A alegria do Senhor

Não faz bem para as pessoas uma vida calcada em atitudes de tristeza, de desânimo e sem capacidade de reais iniciativas. Isso não é próprio dos que procuram se apoiar numa espiritualidade de adesão e de sintonia com o Senhor, com o Mestre da vida, Jesus Cristo. Aí está a fonte verdadeira da alegria. Ser […]

Saiba mais

ESPAÇO DE TEMPO

Prof. Antônio de Oliveira antonioliveira2011@live.com De acordo com o filósofo Emanuel Kant, espaço é a forma da sensibilidade externa pela qual nós localizamos os objetos; tempo, a forma de sensibilidade interna que nos permite perceber os fatos conscientemente, uns depois dos outros, como sucessivos, porque… “Porque o tempo, o tempo não para”. Estamos inseridos igualmente […]

Saiba mais

PÃO E CIRCO…

Prof. Antônio de Oliveira antonioliveira2011@live.com Este binômio, “panem et circenses”, consta de uma sátira de Décimo Júnio Juvenal ou, como comumente citado, Juvenal, e significam pão e espetáculos circenses. Com essa frase mordaz, há quase dois milênios o escritor latino se dirigia aos romanos da decadência, que só pediam trigo, no fórum, e espetáculos gratuitos, […]

Saiba mais

Culpa do olhar…

Beleza roubada, em corpo e alma. Nesse caso, o produto do roubo, arrebatado com sensibilidade e delicadeza, é arte. E, arte pela arte, não postula ressarcimento a não ser em forma de carinho e afeição, calor no coração e partilha da felicidade. Só assim, quando a gente quer fazer valer o amor, valem também canções […]

Saiba mais

Badalem os sinos

Por Dom Walmor Oliveira de Azevedo Arcebispo de Belo Horizonte Os sinos badalaram para anunciar o início da 21ª Conferência do Clima (COP21), que ocorre em Paris, como um possível broto de esperança que nasce do tronco seco, cenário preocupante do aquecimento global. Essa imagem, que se inspira nas palavras do profeta Isaías, é oportuna […]

Saiba mais

Ficha Limpa

Prof. Antônio de Oliveira antonioliveira2011@live.com A mim mesmo faço algumas perguntas inquietantes. Faço-as também a quem interessar possa. Por que foi preciso um movimento popular contra parlamentares ficha-suja? Parlamentares ficha-suja? Pode? Parlamento, reduto dos fichas-sujas? Como pode? Se não há fichas-sujas, por que não há transparência irrestrita de nossos representantes? Pares julgando pares. Pode? Que […]

Saiba mais

A arte de sofismar

Prof. Antônio de Oliveira antonioliveira2011@live.com O que é um sofisma? Sofisma é um argumento falso com aparência de verdade. Do tipo assim de parece-mas-não-é. Parece uma coisa, é outra. Inicialmente a palavra sofista não tinha o sentido, que tem hoje, de falso sábio. Aristóteles, enaltecendo os sete sábios da Grécia, chamou-lhes de sofistas. No Brasil […]

Saiba mais

Ida sem volta – Prof. Antônio de Oliveira

Prof. Antônio de Oliveira antonioliveira2011@live.com Segundo a mitologia grega, as Moiras moram no reino de Plutão, rei dos infernos e deus dos mortos. Donas do destino, elas têm a mesma idade da Noite, da Terra e do Céu. Três mulheres pálidas, Cloto, Láquesis e Átropos, fiam sem parar, em silêncio, o misterioso fio da Vida. […]

Saiba mais

Misericórdia: Cuidar dos caídos

Por Dom Leomar Brustolin Bispo auxiliar de Porto Alegre (RS) A misericórdia pode ser entendida como o “voltar-se” para a miséria do outro, suscitando atitudes e obras que, necessariamente, fazem a pessoa sair de si para ir ao encontro do caos no qual o outro vive. Sim, “caos”, porque é a desordem de uma situação […]

Saiba mais