O Que São Células Paroquiais de Evangelização

“Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali eu estou no meio deles” Mt 18,20


“Constata-se que nos últimos anos está crescendo a espiritualidade de comunhão e que, com diversas metodologias, não poucos esforços tem sido feitos para levar os leigos a se integrar nas pequenas comunidades eclesiais, que vão mostrando frutos abundantes.
Nas pequenas comunidades eclesiais temos um meio privilegiado para chegar a Nova Evangelização e para chegar a que os batizados vivam como autênticos discípulos e missionários de Cristo".
DAp. 307


CONCEITO DE CÉLULA

Célula: É a unidade biológica fundamental de um organismo capaz de vida independente e de doar essa vida através de um processo de multiplicação. Ela contém os ingredientes básicos do organismo a que pertence.
Célula Paroquial de Evangelização: é um grupo pequeno de leigos ligados à paróquia e a seus pastores, e entre si por uma relação de proximidade ("oikos"), e que se reúne nas casas, que evangeliza e que acompanha os novos discípulos de Jesus, que de evangelizados se tornam evangelizadores. Deste modo, a célula cresce e se multiplica.



CÉLULA É CORPO SAGRADO DE CRISTO


Sendo a célula biológica uma conjunção ordenada, harmônica e articulada de elementos materiais animada pela vida, com vista a sobreviver e multiplicar-se, a Células Paroquias de Evangelização são, pois, organismos vivos do Corpo de Cristo, comprometidos com o Evangelho e impulsionados pelo Espírito Santo, onde se pode viver o "amai-vos uns aos outros" (Jo 13,34-35) e o "onde dois ou três estiverem em meu nome, estarei lá" (Mt 18,20).Como fruto desta comunhão no Amor de Cristo, ela gera novos membros para o Corpo e se multiplica.
Assim, as Células, como parte do Corpo de Cristo, tornam presente Jesus, o Emanuel, Deus Conosco!

Como unidades vivas do Corpo de Cristo, as Células continuam três tarefas que Jesus realizou entre os homens e deixou à sua Igreja:

1. A Propiciação – Jesus a cumpriu plenamente em Seu corpo físico, pois conforme Romanos 3, 2,4 fomos “justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.” Mas cumpre à Igreja, a cada batizado, fazer Memória através do múnus sacerdotal dado a cada cristão.

2. O anúncio do Reino – Jesus a cumpriu parcialmente em seu corpo físico conforme Lc 8,1: ”E aconteceu, depois disto, que andava de cidade em cidade, e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus; e os doze iam com ele.”Cumpre à Igreja, sucessora dos doze, continuar.

3. O envio da Igreja – Através da Igreja, Seu corpo místico, Jesus pode então continuar a cumprir a tarefa do anúncio do Reino, conforme Lucas 9, 2: “E enviou-os a pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos”., e Lucas 10, 8-9: ”E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o Reino de Deus”.

A CPE anuncia e torna palpável, visível e experiencial o Reino entre nós, como parte do novo Corpo de Cristo!

Tendo ressuscitado e ascendido aos Céus, Jesus assume agora um novo Corpo. a Igreja. Mas como é este Corpo? Seu protótipo é a comunidade dos 12 discípulos, conforme Marcos 3, 13-14: ”E subiu ao monte, e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele. E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar”.

Com base neste modelo inicial de pequenas comunidades missionárias de Jesus, a CPE quer continuar a Missão que Cristo deixou a sua Igreja.
Quando falamos de uma Célula Eclesial de Evangelização, estamos, pois, tratando do Corpo de Cristo presente em pequenas comunidades (a CPE é comunidade cristã e não uma mera reunião!) nos lares de cristãos, e que existem para cumprir grandes propósitos que Cristo deixou a sua Igreja:

- Comunhão fraterna (Koinonia)
- Glorificação de Deus por meio de Cristo (Liturgia)
- Edificação mútua nas Escrituras Sagradas (Catequese)
- Evangelização (Martiria)
- Cuidado uns com os outros (Diakonia)

Mas deve-se salientar que o primeiro elemento – a Comunhão fraterna (Koinonia) – é que dá base, força e condições para que se realizem os demais.
O projeto CPE pressupõe a comunhão entre seus membros – mas não uma comunhão fraterna comum, por melhor que seja! A CPE se baseia na Comunhão baseada em Cristo, pois deve ser uma comunidade cristã discipuladora e evangelizadora, que cumpre propósitos de Cristo! Ela, em suma, busca reproduzir a célula inicial de comunhão de amor extremo que Cristo teve com seus Apóstolos - os quais enviou para multiplicar sua Missão até os dias de hoje!


JESUS É O CENTRO!


Aspecto essencial da CPE: ela é uma comunhão centralizada em Cristo e em sua missão.

Torna-se importante esclarecer o que a CPE não é, para evitar equívocos prejudiciais:
A) Grupo de devoção ou de oração – Um dos estágios da reunião da CPE é a oração, e sem ela tudo se tornará fraco e ineficaz: mas CPE não é apenas grupo de oração.
B) Grupo bíblico – A CPE toma como base a partilha da Palavra para se edificar - mas a CPE não se resume a estudo da Palavra.
C) Grupo de formação ou de doutrina – Na célula acontece o Discipulado dos membros de acordo com a doutrina católica, mas ela não é apenas isto, um grupo de Catequese.
D) Pastoral ou Ministério – A CPE busca cumprir os propósitos de Deus e levar seus membros a serviços e ministérios eclesisais: mas é sobretudo uma comunidade onde o “ser” vem antes do “fazer”. A CPE não é simplesmente um grupo de trabalho ou serviço.
E) Grupo Social – CPE não é um grupo de cristãos que se gostam, talvez até alheio ao corpo eclesial. A CPE é base vivificante deste Corpo; ela é uma pequena comunidade que tem a multiplicação do Corpo de Cristo como objetivo.



Saiba mais