Palavra de Deus: Palavra que orienta para o mistério

Nos Evangelhos encontramos a beleza da Palavra de Deus. Palavra viva e eficaz que nos dá a direção, o caminho.  Nele encontramos as narrativas de Jesus, suas andanças missionárias, seus ensinamentos, como sinais da chegada do Reino de Deus.

A Palavra de Deus com todos os seus ensinamentos, seus cantos, poemas e hinos leva as pessoas a fazerem experiências de um Deus vivo no meio de nós. Desperta o desejo próprio de todo ser humano de se encontrar com Deus, descansar nele, refugiar-se no seu coração. Essa experiência está no mais íntimo do ser humano: o desejo de encontrar o sentido para tudo na vida e realizar o seu encontro pessoal com Deus.

Somos todos buscadores de Deus. Em nossos encontros, nas reuniões, até mesmo no nosso cotidiano estamos tentando ouvir as palavras de Jesus, tentando compreender, com a ajuda do Espírito Santo, o que está acontecendo e buscando uma palavra de vida para nós mesmos, para a comunidade, para a sociedade e para o mundo.

Deus continua falando hoje. Nos atos e fatos da vida Deus se faz presente e nos convocam para sermos seu instrumento. Ao sermos chamados para falar, seja em uma Celebração Eucarística, uma pregação da Palavra, um batismo, nas exéquias, nos ofícios divinos, nas catequeses, somos encarregados de iniciar a assembleia no mistério que se celebra, levar até o coração das pessoas o encantamento do mistério e provocar nelas o entusiasmo para ouvir a Palavra. Precisamos nos entusiasmar com as coisas de Deus.  A palavra “entusiasmo” carrega consigo seu grande significado. Quer dizer: “em Deus, cheio da graça”.

Antes de entusiasmar a outras pessoas, necessário se faz deixar-se encantar primeiro, se iluminar pela Palavra de Deus que é viva e eficaz. Deixar-se adentrar no mistério da vida do Cristo e, ao mesmo tempo, deixar que ele se entranhe em nós, de tal forma que Ele esteja sempre em nós e nós nEle. Lembrando a expressão do apóstolo Paulo: “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim”.

Atenção à Palavra de Deus.

Quando lemos a Palavra, estamos lendo, ao mesmo tempo, a Bíblia e a vida. Somos alertados para discernir nos acontecimentos da vida pessoal, comunitária e social, os caminhos que nos levam a Deus. O caminho que o Senhor Jesus veio preparar trazendo para junto de nós a presença de Deus e nos convidando a caminhar com Ele e realizar a vontade do Pai para a construção do Reino. Em Jesus, Deus se humaniza para ficar perto de nós e nos ajudar na tarefa de nos aproximarmos uns dos outros e fazermos o percurso juntos. É o nosso reconhecimento de que podemos amar ao outro porque Ele primeiro nos amou, como nos diz o evangelista João em sua primeira carta (1Jo 4,19). Também, a percepção de que podemos deixar a Palavra de Deus se materializar em nós e depois, fluir na preparação do caminho em forma de “anúncio missionário” para acolher a chegada do Reino.

Jesus ensinou aos seus discípulos o que Ele ouviu do Pai (Jo 15,15). Os discípulos fizeram a experiência de caminhar com Jesus, que deixou para nós seus ensinamentos. O discípulo amado nos convida a crer que o Messias Jesus é o Filho de Deus e a amar o próximo, principalmente os mais necessitados. Agindo assim, somos chamados a caminhar na luz, que é o próprio Deus, praticar a justiça, ou seja, ter uma boa relação com Deus, com o outro e consigo mesmo, e com a natureza, ou seja, estar sempre cuidando de tudo que Deus nos deu.

Estejamos sempre aptos a assumir o nosso compromisso como cristãos, batizados em Cristo Jesus. A nos deixar a se envolver pelo mistério de sua vida. Que o Espírito Santo possa nos inspirar para ver a vida com os olhos do coração e da mente (Ef1, 18), a querer Deus como a terra sedenta e sem água (Sl 63) e a seguir buscando o rosto de Deus (Sl 27) assim como o vigia que espera pela nova manhã (Sl 130).

Neuza Silveira de Souza. Coordenadora do Secretariado Arquidiocesano Bíblico-Catequético de Belo Horizonte.

 

Veja também