Maria, mãe de Jesus e nossa

Presença solidária, amorosa, marcada pela atenção e sensibilidade de uma mãe

Maria, uma mulher simples da cidade de Nazaré, região da Galileia. Corajosa, confiante na fé e amada. É deste lugar simples, pobre, esquecido, que o Evangelista Lucas nos diz que um anjo foi enviado por Deus a uma Virgem. Ao longo de nossas vidas, encontramos e conhecemos várias Marias: Maria do Carmo, Maria Aparecida, Maria de Fátima, Maria Inês, Maria da Penha. O nome mais popular no Brasil, com mais de 11 milhões de mulheres batizadas assim, segundo o censo do IBGE de 2010. O olhar amoroso que cada devoto entrega a Nossa Senhora, no momento de rezar o terço ou de um agradecimento, é o olhar de ternura que Deus olhou para aquela menina, mulher, escolhida para ser a Mãe de seu Filho.

E no seu coração, quem é Maria? Como você vê Maria? Como se relaciona com ela? Como você percebe o papel dessa mulher na vida de Jesus Cristo? Ao longo da história, vários santos dedicaram sua vida a estudar e a conhecer Maria, é o que explica Bernadete Moura Lima, coordenadora da Catequese da Paróquia Nossa Senhora Rainha. “São Lucas, em seu Evangelho, capítulo 1, Versículo 26, nos apresenta características de Maria: ele nos localiza no tempo e no espaço. Narra o encontro de Maria com sua prima Isabel, que estava no sexto mês de gestação e também ao descrever a cidade de Nazaré, como, um lugar pobre, simples, de pequenos agricultores, longe do grande centro de Jerusalém, as famílias viviam praticamente no clã”.

Maria estava entre os apóstolos de Cristo, perseverando em oração e aguardando a vinda do Espírito Santo. “Todos Perseveraram na oração em comum, junto com algumas mulheres e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele” (Ato dos Apóstolos 1,14). Bernadete ressalta que na Igreja primitiva, desde o início, já se venerava a figura de Maria. “Os apóstolos de Cristo e seus discípulos tinham um grande amor por ela, porque estavam sempre juntos dela. Ela estava ali, também, como uma discípula de Jesus”.

O nome é algo muito importante para nós. Ele representa quem somos, nos identifica. Na Bíblia, o evangelista Lucas apresenta o nome de Maria. “O nome de Maria é para invocarmos sempre, a todo momento, como aquela Mãe, aquela nossa Mãe Maria, seja nas nossas alegrias, tristezas, na hora em que nos sentimos abandonados, na nossa aridez, quando passamos por um deserto ou quando sentimos a falta da fé. Chame por Maria”, destaca Bernadete ao relembrar uma fala do Padre Antônio Maria.

Maria esteve presente nos momentos decisivos de seu Filho Jesus, assim como, está presente na vida de cada pessoa. Presença solidária, amorosa, marcada pela atenção e sensibilidade de uma mãe.

Veja também