Compaixão

Voluntariar-se para o serviço ao próximo tem força curativa. O mundo precisa de voluntários, homens e mulheres que trabalham não somente para garantir o próprio sustento, mas também porque são sensíveis às dores do outro, que é irmão. Fortalecer a cultura da solidariedade é caminho para livrar a sociedade de males enraizados no egoísmo. Dedicar-se ao próximo permite ainda, a cada pessoa, perceber que seus próprios problemas não são os únicos, ou os maiores.

O Evangelho narra: Jesus, vendo as multidões, compadeceu-se delas. Exercer a compaixão é, pois, parte inseparável da identidade cristã. Nesse sentido, todos devem participar de iniciativas de amparo aos mais pobres. Cada um de nós precisa ser operário na missão de cuidar dos cansados e abatidos, levando aos corações a esperança que vem da fé. Dedicando-nos sempre mais a essa missão, supliquemos a Deus para enviar mais trabalhadores a serviço do Evangelho.

Maria, Senhora da Piedade, mãe e discípula exemplar, inspire cada um de seus filhos e filhas a serem solidários. Cristo Rei abençoe você e a sua família.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte
Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

Veja também